Como Dar Corda em um Relógio Automático

A Diferença entre Relógios de Quartzo, Mecânicos e Automáticos
01/07/2018
A origem dos relógios de pulso
18/09/2018

Os relógios mecânicos automáticos, aqueles que dependem de engrenagens e mecanismos para operar, ficaram mais populares nos últimos anos após uma explosão dos relógios de quartzo.[1] Também conhecidos como perpétuos, eles dão corda em si mesmos usando um peso móvel interno que gira quando o usuário move o braço, transferindo energia para uma reserva e mantendo o mecanismo em movimento.[2] Tais relógios não exigem baterias e podem ser considerados “energia limpa”, movidos por humanos. Embora não precisem de corda diariamente, é uma boa ideia dar corda de vez em quando para garantir que eles se mantenham precisos e durem bastante.

1

Mantenha o braço em movimento. O relógio automático tem um peso de metal oscilante, ou rotor, que capta o movimento. O rotor oscilante é preso às engrenagens dentro do relógio, que por sua vez estão presas à mola mestra. Quando se move, ele movimenta as engrenagens, que dão corda à mola mestra. O movimento armazena energia na mola para que o relógio continue funcionando. Se o acessório não for movimentado diária e regularmente, a mola perde a energia. Usar o relógio e manter o braço em movimento será o suficiente para manter o rotor em movimento e dar corda na mola. No entanto, isso não quer dizer que seu braço precisa ficar em movimento constante. Os relógios automáticos são feitos para responder aos movimentos normais do dia a dia.

  • Geralmente, os relógios automáticos armazenam energia por até 48 h para continuarem funcionando sem precisar de mais corda.

  • As pessoas não muito ativas, como os idosos ou as que estão de cama, podem precisar dar corda nesses acessórios com mais frequência. Se você ficar doente e deitado na cama, seu relógio pode ficar sem corda, já que não está sendo movimentado regularmente todos os dias.

  • Evite usar o relógio ao praticar esportes que exijam movimentos constantes do braço ou da mão, como tênis, squash ou basquete. Tal uso vai interferir com os mecanismos de corda automáticos, feitos para uso regular no dia a dia.

2

Tire o relógio do pulso. Embora o relógio automático preserve sua energia na mola mestra que é alimentada pelo movimento do rotor, ele também exige corda manual periódica para manter a mola bem apertada. Para garantir que a coroa não sofra tensão demais ao ser puxada, você deve tirar o relógio do pulso. Assim, você terá a alavancagem e o ângulo certos para puxar a coroa para fora com cuidado.

 

3

Localize a coroa. Trata-se do pequeno botão que geralmente fica do lado direito do relógio. Esse botão pode ser puxado para fora para se ajustar a data e a hora do relógio. No entanto, ele não precisa ser removido para engatar o mecanismo de corda. A coroa geralmente tem três posições ou configurações que engatam certas funções. A primeira posição é quando ela é empurrada até o final, e o relógio opera normalmente. A segunda posição é quando a coroa é puxada para fora até a metade. Essa é a posição para se ajustar a data ou a hora, dependendo do relógio. A terceira posição é quando a coroa é puxada para fora até o máximo. Dependendo do relógio, também pode ser a posição para se ajustar a data ou a hora.

  • Se o relógio for à prova d’água, a coroa pode ser aparafusada para aumentar a proteção. Nesse caso, será necessário desparafusar essa coroa girando-a com cuidado quatro ou cinco vezes. Ao dar corda no relógio, você vai empurrar a coroa para baixo ao mesmo tempo, o que vai aparafusá-la de volta no lugar. 


 

 

 

 

 

 

 

4

Gire a coroa no sentido horário. Segurando a peça com o indicador e o polegar, gire-a gentilmente no sentido horário, movendo-a de baixo para cima, em direção ao 12 do relógio, caso você esteja olhando diretamente para ele. Gire a coroa cerca de 30 a 40 vezes ou até que o ponteiro dos segundos comece a se mover para dar corda no relógio.[8] A corda mantém a mola mestra apertada e com a reserva total de energia, o que também é suplementado quando você mantém o relógio em movimento.

  • Ao contrário do que se acredita, normalmente não é possível dar corda demais em um relógio automático. Os modelos modernos são feitos para evitar tal possibilidade.[9] Ainda assim, seja cuidadoso ao girar a coroa e pare ao sentir resistência.

5

Sempre acerte o horário movendo para frente. Ao dar corda no relógio, você pode mover acidentalmente os ponteiros se puxar a coroa para fora até o final. Nesse caso, redefina o horário movendo os ponteiros do relógio para frente até chegar ao horário certo. O relógio é feito para mover os ponteiros para frente, não para trás, por isso é melhor manter as engrenagens e os mecanismos internos funcionando da maneira correta.

Empurre a coroa até o final. Veja se ela está encaixada até o final empurrando-a com cuidado. Se tiver um relógio à prova d’água, você pode precisar verificar outra vez para ter a certeza de que a coroa está bem presa no lugar. Pince a coroa com o indicador e o polegar e aperte-a enquanto a empurra para dentro.

Compare o relógio com outro. Se ele estiver funcionando direito, ficará alinhado com outros relógios. Se você acredita que ele ainda não está funcionando direito, peça para uma relojoaria testá-lo usando um vibrograf. Esse instrumento mede a velocidade e os tiques do relógio para saber se ele está lento ou rápido.

 

 

 

 

 

 

 

Dê corda até o final se o relógio estiver sem uso há algum tempo. Os relógios automáticos precisam de movimento para continuar funcionando, e podem parar se ficarem guardados por mais do que apenas alguns dias. Girar a coroa de 30 a 40 vezes vai dar corda no relógio e garantir que ele esteja pronto para ser usado. Vire a coroa até que o ponteiro dos segundos comece a se mover para que você saiba que o relógio começou a marcar o tempo. Provavelmente, você também vai precisar redefinir a data e a hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *